Cancro Oral. Causas e Sintomas

gengivite-causas-tratamento
Gengivite. Causas e tratamento
10 Julho, 2017
Cancro Oral, Prevenção e Curiosidades
Cancro Oral, Prevenção e Curiosidades
11 Julho, 2017
Show all

Cancro Oral. Causas e Sintomas

Cancro oral causas e sintomas

No último artigo foi explicada a razão pela qual surgem doenças como a gengivite que, por sequente se desenvolve em periodontite. Pode consultar este artigo aqui.

Na sequência destas doenças e para a falta de tratamento das mesmas, estas podem desenvolver-se para um cancro oral.

As bactérias causadoras das doenças gengivais podem levar ao desenvolvimento do cancro oral pelo aumento das lesões no tecido gengival num estado muito avançado de deteorização.

Para pessoas portadoras de HIV é de extrema importância ter em atenção os sintomas de gengivite, pois as fracas defesas no organismo podem resultar em cancros orais.

 

O que é o cancro oral?

O cancro oral é definido pela ICD (Classificação Internacional de Doenças) como o conjunto de tumores malignos que afetam qualquer localização da cavidade oral, dos lábios à garganta, incluindo as amígdalas e a faringe.

As localizações mais comuns deste tipo de cancro são a mucosa por baixo da língua, o bordo lateral da língua e céu da boca (designado de palato mole).

Mais de 90% destes cancros são designados por carcinomas afetando o epitélio da mucosa oral. Os restantes correspondem a formas mais raras de tumores e incluem os linfomas, sarcomas, melanomas, entre outros.

Os carcinomas da cavidade oral podem manifestar-se como uma mancha de cor variável, geralmente branca ou avermelhada, uma massa mais ou menos endurecida.

Também podem manifestar-se por uma úlcera que não cicatriza.

 

O cancro oral está associado a índices de mortalidade elevados, que se deve em grande parte ao seu diagnóstico tardio.

 

 

Quais as causas que estão na origem do cancro?

O tabaco e o álcool são os principais fatores de risco no desenvolvimento do cancro oral. O fumo do tabaco e seus constituintes químicos estão relacionado com diversas transformações na mucosa oral e tem um efeito carcinogénico direto nas células epiteliais.

Estudos realizados apontam a que 8 em cada 10 doentes diagnosticados com cancro oral são fumadores ou ex-fumadores. Fumadores tem uma possibilidade de desenvolver cancro 5 a 7 vezes superior que não fumadores.

Uma fraca alimentação também pode estar na origem desta doença. E entenda-se fraca como pobre em vegetais e frutas. A falta de antioxidantes naturais e seus agentes tornam os pacientes mais vulneráveis a doenças.

 

Quais os principais sintomas do cancro oral?

Apesar de numa fase inicial não se sentir dor, os sintomas do cancro oral surgem através de úlceras persistentes, áreas endurecidas, áreas de crescimento tecidular, lesões que não cicatrizam e mobilidade dentária.

Numa fase posterior pode começar a ter sintomas de dor, parestesia (perdas de sensibilidade), disfagia (dificuldade em engolir), lesões brancas e vermelhas e linfadenopatia (gânglios linfáticos inchados).

 

Existe tratamento!

O cancro oral trata-se essencialmente através de cirurgia e radioterapia, isoladas ou combinadas. O fator chave para um tratamento de sucesso é o diagnóstico precoce das lesões, fator que melhora significativamente as taxas de sobrevivência à doença.

Sim ouviu bem. Infelizmente o cancro oral mata.

Mesmo com os avanços da tecnologia e dos tratamentos desta doença, o cancro oral continua a fazer vitimas. A principal causa é o diagnostico tardio.

Se alguma vez sentir algum dos sintomas apresentados acima vá imediatamente a um odontologista para poder avaliar a situação!

Se pretende realizar algum diagnóstico preventivo fale connosco!